revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
   

 

 
   
 
 
 
sobre a obra >>
 
sobre o autor >>
 
imprensa >>
 
adquira o livro >>
 
 
 
 
 
O Diabo Mesquinho
Titulo Original: Мелкий Бес
 
Fiódor Sologub
Desenhos Fabio Flaks
Tradução Moissei Mountian
Colaboração Daniela Mountian
Revisão (Estilo) Aurora Fornoni Bernardini
 
Indicado ao Jabuti 2009 na categoria Tradução com Moissei Mountian
 
2008
 
catálogo  >>
 
 
Sobre a obra
 

O romance O Diabo Mesquinho, de Fiódor Sologub (1863-1927), escrito na passagem do século XIX para o XX, foi traduzido diretamente do russo, numa publicação inédita no Brasil.

A obra conta as peripécias de Ardalión Boríssytch Peredónov, um professor do ginásio de uma pequena província russa do fim do século XIX, que busca uma esposa para alcançar o sonhado posto de inspetor. Numa série de intrigas e confusões, alimentadas por seus incorrigíveis circunvizinhos, o maldoso Peredónov passa a ser assaltado por estranhas alucinações, como a nedotykomka, que culminam num inexorável processo de loucura. Num enredo paralelo, mas que se mistura às diversas tramas e intrigas, temos o caso de amor da alegre Ludmila e o belo ginasiano Sacha, que conhece com ela as marcas ambíguas dos seus primeiros desejos.

Peredónov, expressão máxima de uma sociedade mesquinha e decaída, tornou-se personagem tão marcante na sua época que seu nome passou a ser usado para caracterizar certos comportamentos egoístas e insensíveis, algo como Oblómov, do homônimo romance de Gontcharóv.

As situações de O Diabo Mesquinho, escrito por Sologub durante dez anos (1892-1902), beiram o nonsense e tocam, ao mesmo tempo, em questões cheias de concretude e violência, relacionadas ao poder, à autoridade, ao funcionalismo público etc., sempre permeadas por flechadas irônicas, pessimistas e destituídas de psicologismos.

A escrita pessimista de Fiódor Sologub, influenciada tanto pela narrativa de Cervantes (D.Quixote era seu livro de cabeceira) e pelo idealismo de Schopenhauer como pelo riso de Gógol e pelas questões de moralidade de Dostoiévski, mostra-nos um mundo no qual não há mais espaço para os ideais de perfeição, amor e beleza.

Revisão: Daniela Mountian e Denise Sales

392 págs. Preço: R$36,00.

ISBN: 978-85-61096-00-7

 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>