revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
Literatura Russa - Autores - Literatura Russa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aleksandr Kuprin
 

A imagem de Aleksandr Kuprin (1870-1938) é inseparável de seu gosto por aventuras, da personalidade ativa e intrépida, da vida errante, do amor pela Rússia, que conhecia profundamente, e das dificuldades que passou na infância. Nascido em uma cidadezinha da província de Penza, não teve contato com o pai, Ivan Kuprin (1834-1971), um funcionário público modesto oriundo da nobreza que morreu quando Aleksandr tinha um ano de idade. Com sérias dificuldades financeiras, sua mãe, Liubóv Kupriná (1838-1910), de origem tártara, se viu obrigada a mudar com o filho para Moscou. Lá, ele estudou em um colégio militar e, em 1888, ingressou na Escola de Cadetes de Alexandre. Depois, foi integrado como subtenente ao 46º regimento de infantaria da guarda imperial. Pediu dispensa em 1894, mas, durante a Primeira Guerra Mundial, realistou-se.

Kuprin começou a escrever ainda menino e sua primeira obra foi publicada em 1889: Estreia derradeira. No começo da década de 1890, seus contos começaram a sair em revistas de Petersburgo. Na cidade, onde se instalou em 1901, deixou os diversos quebra-galhos para trás — fora de pescador a ator de circo — e começou a colaborar em várias revistas grossas, embora volta e meia buscasse sustento no jornalismo, o que muito influenciou sua escrita. Depois da vitória dos bolcheviques, em outubro de 1917, Kuprin, simpatizante dos socialistas revolucionários, radicou-se em Paris, regressando ao seu país natal em 1937.

Sua obra não raro é relacionada com querelas sociais, mas, na verdade, Aleksandr Kuprin, com uma prosa franca e realista, deixou textos sobre diversos temas. Entre seus trabalhos, destacam-se: Moloque (1896), O alferes armênio (1897), Olessia (1898), O duelo (1905). Ele também escrevia para os pequenos, sobre animais, artistas e altruísmo. Suas histórias infanto- juvenis, como Doutor milagroso (1897), O poodle branco (1903) е O elefante (1907), são até hoje lidаs pelas crianças russas e estudadаs nas escolas.

 

 

 
Artigos relacionados
 

O inquérito 25/11/2011 >>

 
 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>